Luiz Alceu Beltrão

Muitas mulheres já estão consagradas no mundo das peles

Certamente uma das mais festejadas é a baterista americana Terri Lyne Carrington ( 1965 ), que ultrapassou todos os muros que dão acesso à elite do jazz contemporâneo. Com talento nato e estudos exaustivos chegou ao olimpo com a conquista de 2 prêmios Grammy, em 1989 e recebeu o título de doutora pela principal academia de música dos EUA – a Berklee School of Music, em 2003.

Além de instrumentista é compositora e tocou e gravou com ilustres nomes do jazz como: Herbie Hancokc, Wayne Shorter, Dianne Reeves, Cristian Mc Bride, Stan Getz. Demonstrando uma técnica inovadora, tornou-se um ícone para as suas alunas, ouvintes e para as suas milhares de seguidoras mundo afora.

Aqui no Brasil já assisti grandes performances de ritimistas incríveis. Em Salvador, fiquei de cara com uma garotinha tocando berimbau. No Rio, vi de muito perto uma carioca linda dar um show na primeira linha de tamborins da bateria Escola de Samba Viradouro. Isso tudo no início dos anos 90 – imagine agora.

Aqui em Curitiba temos bons exemplos “na cozinha” das bandas Lady Be, Samba de Saia e no Quinteto Irreverente. E nessa última vê-se a cantora Ana Decker, que, além de interpretar muito bem um repertório de sambas antigos, faz ecoar sua imbatível cuíca.

Aí me pergunto: será que nos tempos tribais as indiazinhas já não mandavam mensagens através dos couros? Acho que os marmanjos da época é que não tinham sensibilidade para perceber!

2 respostas para Luiz Alceu Beltrão

  1. Cassiana Silva Castro disse:

    Realmente Luiz Alceu, Terri Lyne Carrington é espetacular. Lendo seu artigo ainda me lembrei de outras mulheres bateristas que talvez não sejam tão talentosas quanto Terri, mas que vale a pena mencionar, para que os marmanjos de hoje não deixem de percebê-las: Cindy Blackman, Emmanuelle Caplette, a brasileira Vera Figueiredo, Hilary Jones e ainda, lembrando que Karen Carpenter, dona da voz mais doce dos anos 60 e 70, começou a carreira na bateria e foi seu irmão Richard que a convenceu ficar só no vocal.

  2. dalton de lara stella disse:

    Bela lembrança Lulo.
    Aqui em Alagoas tem muita cantora de categoria.Por aqui o povo é muito musical,e só
    Um grande abraço.
    Daltinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s